Historial da MARP

A MARP surge da necessidade sentida pela generalidade das mulheres – sejam elas agricultoras, técnicas ou com qualquer outra ligação ao Mundo Rural e participando 2 em diversas Associações de se organizarem para intervirem na defesa dos seus interesses e direitos; para melhor participarem na definição das estratégias e objetivos para o desenvolvimento integrado e para promoverem melhores condições de vida.

De âmbito nacional, a capacidade de desempenho da MARP assenta na experiência e motivação dos seus técnicos e dirigentes bem como na colaboração que no dia-a-dia estabelece com as estruturas locais, sociais e rurais.

Resultantes do desenvolvimento da sua atividade, os objetivos principais da MARP são a defesa dos interesses e dos direitos predominantemente das mulheres agricultoras e rurais portuguesas e a promoção de atividades visando a transformação do sector numa área mais vasta de trabalho.

Desta forma, a MARP pretende dar o seu contributo para melhorar as condições de vida e de trabalho das mulheres agricultoras e das populações rurais através da sensibilização, informação e esclarecimento dos seus direitos (comunitários e nacionais) abrangendo temas como a cidadania, a mudança de mentalidades, a proteção do ambiente, a higiene e segurança e os mecanismos específicos de Apoio à Mulher no QREN. A MARP tem assim por objetivo dinamizar e potenciar o bem-estar das populações, dos serviços e dos produtos a gerar, bem como reivindicar e estimular a organização do público-alvo.

É importante fazer entender que o sector rural é a base da economia e que, por isso, é premente a necessidade de o estimular e acarinhar de forma a permitir o seu adequado desenvolvimento e competitividade, cumprindo os requisitos a que está sujeito, mas também salvaguardando os interesses da população diretamente relacionada.

Financiamento